quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

fundamentalismo ateísta

"No desvio de algum rincão do universo inundado pelo fogo de inumeráveis sistemas solares,
houve uma vez um planeta no qual os animais inteligentes inventaram o conhecimento. Este foi o
minuto mais soberbo e mais mentiroso da história universal , mas foi apenas um minuto. Depois
de alguns suspiros da natureza, o planeta congelou-se e os animais inteligentes tiveram de morrer." 
SOBRE A VERDADE E A MENTIRA NO SENTIDO EXTRAMORAL Friedrich Nietzsche  1873 Tradução de Noéli Correia de Melo Sobrinho


Permitam-me, meus improváveis leitores, cometer o delito de trair o texto acima. Que isto não seja usado contra mim. Faço isso até que por alguma inspiração nietzscheana, mas o texto aqui será certamente usado pelo avesso, espero. Há, percebam, um doce sabor em usar um texto do famoso autor da frase, Deus está morto, para criticar o ateísmo militante dos dias atuais. 
A produção de um conhecimento científico sobre o mundo ancorado em princípios como a racionalidade, o empirismo, a criticidade, a radicalidade e tantos outros mostrou-se até agora ser um meio útil e adequado para solução de problemas humanos. Quem pode pensar nos prejuízos trazidos pelos saberes oriundos dos meios acadêmicos deve perceber também as muitas contribuições prestadas pelos diligentes pesquisadores e pensadores do passado e dos nossos dias. A Ciência, como nós a conhecemos, foi um dos maiores legados da civilização cristã européia da era moderna que se consumou a partir do acúmulo de conhecimentos advindos de outros espaços territoriais e religiosos. Este legado compõe uma das mais belas diademas da tradição européia.
Ironicamente ela se transformou em uma instituição poderosa, produtora de "verdades" que passaram a desprezar seus genitores. O ateísmo militante que se vê crescer principalmente na Europa tem na Ciência o principal instrumento de combate da religião. O exército de macacos nús capitaniados pelo senhor Dawkins elegeu o cristianismo como bode expiatório para os problemas da humanidade. Mostram-se incapazes de perceber suas qualidades e belezas. O mundo laico ocidental é ávido em encontrar belezas em todas as culturas, tradições e religiões espalhadas pelo mundo, mas cego para reconhecer as belezas de suas próprias tradições e crenças. Acha-se linda a cultura de povos canibais e critica-se um religião que, ao menos nos discursos iniciais e fundantes, é eminentemente pacifista.
Não percebem o quão flagrante é sua filiação ao cristianismo, até nos seus procedimentos de luta. O que a militância ateísta faz é uma cruzada do bem contra o mal no melhor estilo cristão medieval. Os argumentos, a sede por ações legislativas são dotadas de um fundamentalismo que não nega os genes. Vivemos dias de fundamentalismo e intolerância inclusive nas torres de marfim da academia. Ateistas do mundo inteiro, vistam a carapuça!
As religiões são manifestações universais de humanidade, são saberes, tradições, procedimentos, sentimentos com milhares de anos de lastro. Moldadas pelas dores e tragédias, sucessos e fracassos de muitas e muitas gerações, as religiões trazem à tona os poderes de um homem profundo, plural, geracional, que não se esgota no indivíduo. As religiões trazem a sabedoria e eficácia dos homens ao longo de um muito longa caminhada. Há uma carga poderosa para além do ordinário presente nas religiões e só o desconhecimento do tema pode explicar a insensibilidade dos críticos. Soa ingênuo e estúpido para meus ouvidos essa simplificação conceitual do ateísmo militante, pior é que os faz intolerantes. Há um valor, cristão aliás, muito válido e útil para a tolerância que é a humildade. A ciência deve, por princípio fundante, duvidar, inclusive de si. E a dúvida deve ser uma janela que se abre para  um diálogo, mesmo que pelo msn.


M.U.C.C.

15 comentários:

Anônimo disse...

O ateísmo militante dos dias atuais não promove que Deus está morto, promove a provável não existência dEle.
A ciência passa longe de ser o vilão do mundo moderno, o uso indevido é culpa do homem. Debater se a ciência é boa ou ruim, não vem ao propósito do meu comentário.
Alguém que você conhece acha lindo o canibalismo ou ritos africanos de estuprar mulheres virgens para tentar eliminar o vírus HIV?
No melhor estilo cristão medieval? No sentido de ser intolerante? Intolerância está na raiz cristã basta ler o "livro sagrado" e notar as atitudes de Deus. As únicas armas de um ateu são os argumentos. Alguns são intolerantes com a ignorância científica e com a hipocrisia.
A humildade é um valor cristão? A única diferença entre um cristão e um ateu, religiosamente, é que os cristãos acreditam em um deus a mais que os ateus. Os outros milhares de deuses, os cristãos acham altamente improvável de existirem. Muito humilde supor a existência de um único deus e que justamente esse deus é o Deus que eles acreditam.
Abraço e um feliz ano novo,
Aluno.

Marcão disse...

Adorei o comentário, seria um prato cheio. Mas minha mãe me ensinou a não conversar com estranhos. Minhas idéias certas ou não tem nome, sobrenome e identidade definida. Gostaria que fosse assim com os comentadores. Mas... feliz ano novo!

Daniel Vigna disse...

Ora, meu caro, responda ao anônimo sim! Muito boa as explanações dele. Você não precisa do rosto, nome e lugar de origem de alguém para debater ideias. Muitos tem receio em ir contra o que o professor prega. Não se esqueça do que Goethe dizia: "A arrogância é a carapaça dos incompetentes". E incompetente você não é, está muito longe disso.

andre metz disse...

Sugiro ao Sr. Anonimo procure o significado de religião em algum dicionario. Cristianismo não é religião!
Na boa... falta muito conteúdo, falta muita inteligencia e falta referencia bibliografica pra gente que se diz ateu.
Eu entendo a frase ''A intolerancia está na raiz cristã'' como uma total falta de conhecimento...
Estudar o tal ''livro sagrado'' dos cristãos pode ser bem útil pra você. Se ler a bíblia é enfadonho pra você, sugiro a leitura o livro Inteligencia Espititual, do Lee Strobel. Esse sim era um Ateu que não se escondia no anonimato...

Se Deus realmente não existe eu quero deixar de ser enganado...entre em contato comigo...eu ficaria feliz se pudessemos conversar sobre isso...eu, vc, o marcos... vc apresenta toda a tua argumentaçao sobre a mentira que é a existencia de Deus...seria bem interessante...

Feliz ano novo a todos os que são convictos da sua fé e não se escondem atrás do anonimato...

Marcão disse...

O daniel, o anonimato é o grande mal da internet ao meu ver. Nós temos que estar dispostos a entrar no debate público e real. Mas o Sr. anônimo já se identificou para mim, de modo que vou responder ao comentário em seguida. Só queria deixar claro, que acho toda essa conversa muito saudável e legal. Todos que se interessam por esse e por outros assuntos são bem-vindos. E discordar de mim é totalmente lícito e saudável. E o fato de se interessarem pelo meu blog já me faz admirar todos vocês!

Marcão disse...

Resposta ao provocativo (não uso a palavra no sentido negativo)comentário anônimo:
1) É evidente que o ateísmo não professa a morte de Deus, nem nunca professou, quanto à frase de Nietzsche há um debate grande entre os estudiosos deste filósofo sobre o seu sentido. Heidegger escreveu um texto inteiro sobre a frase. A postura de Nietzsche em relação à moral cristã em livros como O Anticristo, Genealogia da Moral, Assim falou Zaratrustra, foi sem dúvida um grande ponto de partida para um sentimento anticristão em meios acadêmicos. O que fiz foi relacionar ironicamente as duas coisas jogando o próprio Nietzsche contra a Ciência, e ele foi sem dúvida um grande crítico dos modelos científicos de seu tempo.
2)Não disse que a Ciência é o vilão do mundo moderno, aliás creio que haja uma confusão em relação ao temo moderno no texto. Quando me refiro à era moderna, faço referência aos séculos XV até o século XVIII, não aos tempos atuais. Vale lembrar que foi durante este período que se processou na Europa Ocidental a formação da Ciência. E ponderei que a Ciência é muito importante. É só ler o texto cuidadosamente.
3)O trecho que se inicia com "Alguém que você conhece...até...Alguns são intolerantes com a ignorância científica e com a hipocrisia." é um pouco confuso, ele se abre em várias temas não dá pra discutir um a um. Creio que duas coisas precisam ser ditas. Primeiro, não se pode confundir as instituições eclesiásticas com o cristianismo, exatamente como o André disse. Quando defendo o caráter pacífico do cristianismo, refiro-me à doutrina cristã. Leia os evangelhos, as cartas de Paulo de Tarso e você verá. Veja, o que estou dizendo não é novidade nenhuma, Gandhi disse isso antes de mim. Outra coisa que penso ser importante diz respeito a relação entre religião, estado e violêcia. A Inquisição foi ao meu ver a instituição mais violenta já criada por cristãos. Compare o número de mortes da Inquisição na Itália, Portugal, Espanha...ao longo de 5 séculos com o número de morte durante o regime ateu-soviético, ao governo ateu-nazista (e a Igreja Católica não foi a favor do Nazismo, se quiser eu indico alguns livros para confirmar o que eu estou falando). A distância entre os números, que não tenho aqui à mão, são aberrantes. Os ateus podem sim também ser muito violentos, e não tenho notícia de governos piores do que esses.
4) A humildade, no sentido que a conhecemos, é sim um criado no seio da cultura cristã. Não creio que seja também uma novidade. Muitos valores que são caros ao mundo ocidental como o perdão, a fraternidade, a caridade e etc... são de fundo cristão.
5) No trecho final devo dizer que os cristão são muito fundamentalistas, não neguei isso em nenhum momento no texto, o que procurei mostrar é que a militância ateísta também é e não percebe! Aliás, lendo com atenção o meu texto vocês devem perceber que eu não fiz um texto contra o ateísmo, mas contra a intolerância. E para que não sejamos intolerantes temos que nos esforçar para entendermos os discursos dos outros.
6) Finalizando, gostaria de reforçar a idéia que já apareceu em outros textos meus, de que o mundo ocidental desrespeita a si mesmo quando não trata com respeito e reverência suas próprias tradições. Nos amamos os incas, os astecas,... que eram impérios sanguinários que praticavam sacrifícios humanos e desfiguramos a figura de Cristo e dos chamados santos. Hoje não se pode falar mal das minorias, das outras cluturas, mas no cristianismo é bonito meter o pau. Acho que isso mostra um fragilidade civilizatória.
Abraço meus queridos, e discordem à vontade!

Anônimo disse...

Andre Metz,
Você é a prova de que não deveria postar isso com meu nome e sobrenome. o que eu falei foram algumas ideias e vc simplesmente não atacou as ideias vc me atacou pessoalmente.
qual é o propósito do seu comentário? Me xingar? Falar que vc está certo? Provar que vc não leu a bíblia? Eu li bastante a bíblia, algumas partes legais outras enfadonhas e algumas me dava um pouco de medo daquele Deus. Basta ler gênesis, levítico, deuterônomio, coríntios...
"NA BOA", não precisa ser inteligente, ler e ter referência bibliográfica para ser ateu. Ser ateu é muito simples, basta não acreditar em nenhum deus. Ser cristão, basta não acreditar em nenhum deus com exceção do Deus bíblico. "NA BOA" falta muito conteúdo para os que se dizem cristãos.
Abraço,
Aluno.

Luiz Daniel disse...

Compare em números o total da população na época da inquisição e na época dos regimes nazistas e soviéticos. Esses regimes ateus matavam as pessoas por elas crerem em algum deus? ou matavam por questões políticas muita além da esfera religiosa?

boh disse...

realmente, o antigo testamento nos mostra um Deus mais severo . Porém chegando ao novo testamento oque se vê é a piedade de Deus enviando seu filho único de forma que todo aquele que nele cresse e o aceitasse como senhor e salvador de sua vida, nao morresse mas obtivesse a vida eterna...
- uma das coisas que eu acho errado nas pessoas quanto à discussão é p fato de julgar umas às outras dizendo quem esta certo ou errado , algo que é relativo pois cada um tem uma crença e um ponto de vista,o que temos de fazer é expor nossos argumentos sem ferir. Afinal estamos em uma discussão um debate (como queiram chamar)
e nao na Faixa de Gaza. Aqui nao há verdades absolutas.
-A minha verdade quer vcs queiram ou nao é da existência de um Deus,
o Deus de amor, Deus que provê, que faz a justiça para com aqueles que nele são salvos por meio de
Renan Polli



Jesus Cristo... e se vcs nao acreditam e apenas criticam provem
ele se mostrará presente em suas vidas nao precisa saber como orar apenas saber como chamar (Deus, esse é seu nome)
- Não é a religião que estragou o homem,mas sim, o homem com sua prepotência e arrogância.

abraços gente!!
Feliz Ano novo...

Anônimo disse...

Marcos,
Entre todos os seus 6 tópicos parece que só 2 deles precisam de uma "resposta" e o tópico 4 colocarei um breve comentário, os outros 3 são informações legais e o tópico 2 de fato interpretei erroneamente o seu texto.
3 - Ateu-soviético? Ateu-Nazista?
Hitler não era ateu e não era uma caçada aos religiosos. Um negro ateu ou um judeu que perdeu a fé não era perdoado por ser ateu. Era uma caçada aos que eram de origem diferente da ariana.
Stálin discriminava as igrejas e as religiões, mas acredito que o motivo era que elas poderiam propagar ideias contra o estado que ele queria promover. Até que se não me engano ele criou algumas igrejas do partido comunista, onde as pessoas podiam cultuar ao seu respectivo deus. Me parece muito mais que ele tentou evitar algum tipo de aglomeração ou doutrina não controlada.
Eles não fizeram isso por serem ateus, nem a causa de tudo isso é o ateísmo diferente da Inquisição que a razão de existir era a religião. A causa da violência de Hitler e Stálin eram seus ideais, que não eram ligados ao ateísmo. Até é complicado ligar alguma coisa ao ateísmo pois não se trata de uma religião, não se consegue aglomerar todos em um grupo, por vezes a única característica comum aos ateus é a ausência de uma crença em um ser superior. (essa parte desse comentário vale ao tópico 5 onde vc aglomera todos os ateus militantes, muitos deles não pensam iguais e muitos deles não são tão fundamentalistas, eles acreditam na ciência pois ela consegue tem evidencias e provas que é verdade, ou pelo menos tem mais chance de ser verdade que várias religiões.)
Os ateus podem ser violentos sim, mas o motivo deles não é o ateísmo. E a religião é um dos motivos de alguns religiosos serem violentos.
(Não vejo algumas religiões como um mal, mas impor uma religião a uma criança de 0-12 anos é sacanagem! Ou mesmo prometer um paraíso caso eles matem pessoas de outras religiões. é cruel [essa parte do comentário é muito ligada a resposta ao Marcos então desconsidere quando ler como resposta])
obs: em momento algum quis defender os ideais nazistas.
4 - A humildade não é um valor exclusivamente cristão e acredito que não foi "criada" pelos cristãos. A humildade não deixa de ser um valor cristão.
6 - Acredito que o motivo dos ateus militantes "meterem mais o pau" nos cristãos é que muitos deles são totalmente alheios a sua religião. E nos países ocidentais onde esses ateus atuam é a religião com o maior número de fiéis. Não é uma perseguição deles, e a maioria dos debates que são feitos é entre ateus e cristãos, provavelmente, por isso criou-se mais argumentos contra os cristãos que em outras religiões. E muitos dos argumentos deles é uma crítica a muitas religiões não só ao cristianismo.
E novamente como havia dito no comentário passado, não vejo que as pessoas amem os incas ou os maias ou culturas bizarras que fazem outras pessoas sofrerem sem ter razão. Vejo mais pelo lado que são civilizações, culturas e crenças muito interessantes, que excitam a curiosidade e faz muitas pessoas estudarem mais a fundo o assunto.
Abraço,
Aluno.

Marcão disse...

luiz daniel, há uma diferença populacional, mas estamos falando de séculos de inquisição em vários países contra décadas. daí pra frente só dá pra continuar tendo os números mesmo. dizer que na União soviética e no regime nazista não se morria por motivos religiosos é desconhecimento ao mesmo tempo que devemos atentar para o fato de que a inquisição também matava por razões de estado principalmente na Espanha e em Portugal.

Asafe disse...

Bom, sei que os comentários já passaram desse assunto mas gostaria de dizer algo sobre a dita disparidade entre o Deus do antigo e o do novo testamento: A bíblia diz que Deus não muda; é o mesmo ontem, hoje e o será eternamente.
O que acontece é que Jesus Cristo veio e trouxe a Nova Aliança. Deus não mudou, mas sua aliança e seus métodos com a humanidade sim.

Lucas Braga Pacagnan disse...

A militância ateísta atual realmente tomba cegamente para o lado da ciência. Essa dicotomia religião/ciência ao que concerne as "verdades" desse mundão, cansa-me demasiadamente. E é exatamente na religião e na ciência que encontramos uma ideologia que castra a liberdade individual. Numa linguagem nietzscheana, é a impossibilidade do espírito livre.
Na religião tem um pesar a mais que é ser uma ideologia institucionalizada orientada sempre por uma doutrina dogmática. É uma interpretação metafísica, é o homem se colocando num pedestal. Já na ciência existe a capacidade de interpretar o físico por nossas ferramentas, muito embora seja limitada e por vezes caia em questões metafísicas inúteis também. Quero deixar claro que eu não condeno a ciência. Apenas algumas finalidades que lhe é atribuída.
Já no quesito ateu/crente não vejo muita diferença. O religioso afirma com certeza absoluta o que tem dentro da caixa, o ateu afirma com a mesma certeza que não tem nada dentro da caixa. Mesmo que seja impossível olhar dentro dela. E eu não sou muito fã de absolutos.
E ao amigo que citou: "O ateísmo militante dos dias atuais não promove que Deus está morto, promove a provável não existência dele." Cara, você está misturando níveis de discursos diferentes visto que da forma com qual você colocou a ideia de Nietzsche não condiz com o real significado da frase. A morte de Deus condiz com uma tipologia niilista que segundo Nietzsche é a negação dos valores superiores(divinos) em nome do progresso, o que caracteriza o homem moderno e os atuais ateus cientificistas que são apenas o reflexo de uma melancolia positivista mal resolvida(heheh).

Abraços, gostei muito do seu blog.

Miss Cookie disse...

Ahh, meu querido professor, não me canso de admirar as coisas deliciosas que escreve!
Texto excelente, chama mesmo à reflexão.
Até mesmo para mim, uma "ateia, graças a deus"! ;]
Grande abraço,
grande fã.

ika disse...

Impressionante e profundamente envolvente!